Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Gisele Elaine de Araújo Batista Souza | Orientador: Alexandre Gori Maia

A pesquisa Distribuição de terra e renda e consumo alimentar na Amazônia rural: análises a partir da PNAD e POF teve o objetivo de analisar as mudanças nos padrões de desigualdade de terra, renda e consumo alimentar nas áreas rurais da região Norte. Para isso, foi descrita a dinâmica da concentração de terra e da renda na região, observando, neste último caso, a participação de seus diferentes componentes (trabalho agrícola, trabalho não agrícola e transferências). Além disso, foi analisada a dinâmica do consumo alimentar na região, especialmente por grupos de alimentos, macronutrientes e parâmetros de dieta equilibrada, nas formas de aquisição monetária e produção própria (autoconsumo). Para a execução das análises foram utilizados dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD)/IBGE, para o período de 2004 a 2014, e da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF)/IBGE para os anos 2002/2003 e 2008/2009.

Os dados de ambas pesquisas foram tratados no programa estatístico Statistical Analysis System (SAS). Os resultados sugerem que houve aumento da desigualdade fundiária na região Norte, em contradição à dinâmica no Brasil. A distribuição da renda melhorou tanto no Brasil quanto no Norte, sobretudo nos pequenos empreendimentos agrícolas. Porém, na Região Norte os resultados foram mais significativos.

No entanto, a melhoria da renda esteve vinculada, em primeiro lugar, a outras fontes não relacionadas à agricultura como as transferências de renda, em segundo lugar, a pensões e aposentadorias rurais e, por último, a atividades fora do empreendimento agrícola. Portanto, os pequenos agricultores passaram a ser mais dependentes não só de renda fora da agricultura, como também fora do mercado de trabalho. Talvez como um reflexo deste fenômeno, mudou a forma de aquisição dos alimentos pelas famílias rurais do Norte que passaram a adquirir mais produtos fora do domicílio. Ou seja, reduziu a parcela de alimentos da produção para o próprio consumo.

Como a relação do consumo alimentar com o consumo de macronutrientes ainda é pouco explorada no Brasil, esta tese contribui para este tipo de análise, especificamente na área rural do Norte, onde a produção para o próprio consumo tem apresentado importante redução. Outra contribuição significativa desta tese refere-se à análise da estrutura fundiária tendo como referência a base de dados da PNAD o que possibilitou compreender a dinâmica da renda por grupos de área.

Baixe aqui