A saúde mental dos(as) trabalhadores(as) na pandemia: trabalho, sobrevivência e direito à vida

    Série REMIR-OBSERVATÓRIO DO STF - Ep. 1

    REMIR destaca

    Direito ao trabalho, vacinação e lockdown

    Nós, pesquisadores da REMIR, avaliamos que o agravamento da pandemia da Covid-19 no caso brasileiro encontra-se diretamente atrelado ao desmonte da estrutura pública de regulação do trabalho, à fragilização das políticas sociais de emprego, renda e assistência social, e à negligência do governo brasileiro diante da pandemia.

    O convite ao sacrifício individual dos trabalhadores e trabalhadoras é apenas a prova da falência do modelo econômico neoliberal para o trabalho adotado pelos governantes brasileiros. Diante da política de morte e abandono praticada, a resposta passa pela construção de alternativas que atribuam centralidade ao trabalho e à preservação da dignidade da vida humana.

    NOTA COMPLETA

    Veja aqui as ações,

    acórdãos,

    fundamentos dos votos dos ministros,

    artigos e comentários

    relacionados aos temas trabalhistas

    em análise no Supremo Tribunal Federal

    Agenda

    05
    Out
    Data: 05 Outubro 2021, 00:00

    10
    Set
    Data: 10 Setembro 2021, 19:00
    A Pauta Trabalhista na Agenda Política Brasileira: Desafios e Perspectivas

    09
    Set
    Data: 09 Setembro 2021, 19:00
    Trabalho, religião, Violência e Informalidade na periferia

    Receba nosso informativo

    Favor habilitar seu javascript para enviar este formulário

    Links indicados

    • DMT - Democracia e Mundo do Trabalho em Debate
    • OMT-PE - Observatório do Mercado de Trabalho de Pernambuco
    • OMT/PB - Observatório do Mercado de Trabalho da Paraíba
    • LATWORK - Desenvolvendo Pesquisa e Capacidade de Inovação
    • OPAMET - Observatório Paraense do Mercado de Trabalho
    • OMT-MA - Observatório do Mercado de Trabalho no Maranhão
    • CESIT - Centro de Estudos Sindicais e Economia do Trabalho
    • Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos
    • MPT - Ministério Público do Trabalho
    • ABET - Associação Brasileira de Estudos do Trabalho

     

    O questionário foi respondido por 916 respondentes, sendo 906, válidas, indagava sobre a) ao trabalho que realizam; b) ao segmento, setor e categoria que pertencem; c) as condições ergonómicas, têcnicas, de equipamento para a realização do trabalho remoto/home office; d) dificuldades e facilidades da modalidade em questão; e) alteração de jornada de trabalho, salário e contrato durante .a pandemia; f) experiência do trabalho remoto/home office durante a pandemia.

    Na parte 1 foram sistematizados os dados gerais de todos os participantes, pois responderam trabalhadores de diversos setores econômicos, ocupações e modalidades contratuais uma vez que o único critério era o de trabalhar remotamente no contexto da pandemia. Foram sistematizados e analisados os dados gerais da pesquisa que podem ser acessados no site da REMIR (https://www.eco.unicamp.br/remir/).

    Na segunda parte, os pesquisadores deram sequência na análise, reorganizando as informações a partir de recortes específicos, em razão dos perfis dos respondentes. Desse modo, foram organizados três novos bancos de dados e cada um deles, com um relatório contemplando o recorte selecionado, expostos e organizados na forma de capítulos, como seguem.

    O Capítulo 1, intitulado “O trabalho docente e o setor educacional”, as autoras Fernanda Landolfi e Maia Kelen Aparecida Bernardo se debruçam sobre os dados dos trabahadores da educação, professores em sua maioria, que expressaram suas condições de trabalho em atividades remotas, com modalidades de aula tipo EAD e as dificuldades enfrentadas pela categoria.

    O capítulo 2, denominado “ Trabalho remoto no Contexto da Pandemia Covid-19 no setor público e privado”, de autoria de Fernanda Ribas Bohler, Kelen Aparecida da Silva Bernardo, Mariana Bettega Braunert e Zélia Freiberger, sisetmatizam e analisam os dados referentes ao setor público, identificando o perfil dos respondentes, modalidades contratuais e condições de trabalho dos trabalhadores respondentes. Na segunda parte, as autoras estabelecem algumas comparações com os respondentes do setor privado, que permitiu identificar semelhanças nas condições em ambos setores.

    No capítulo 3, intitulado “O trabalho remoto e as condições das mulheres no contexto da pandemia COVID-19”, Alexandre Pilan Zanoni, Giovana Uehara Bezerra e Maria Aparecida Bridi, atentaram para os dados referentes às mulheres, maioria respondentes da pesquisa, e as condições gerais de adaptação de trabalhadores e trabalhadoras no que toca à transição para a modalidade remota em razão da pandemia.

    Os resultados demonstram as diferenças para mulheres e homens em trabalho remoto. A opção metodológica em trazer dados referentes aos dois sexos, mulheres e homens, permitiu a realizam de compararativos entre os dois sexos.

    RELATÓRIO COMPLETO

    CAPÍTULO I

    CAPÍTULO II

    CAPÍTULO III